Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

ptenes

Opções de acessibilidade

Página inicial > Últimas Notícias > Projeto busca capacitar 96 famílias ribeirinhas para o empreendedorismo consciente em Cametá
Início do conteúdo da página
Ultimas Notícias

Projeto busca capacitar 96 famílias ribeirinhas para o empreendedorismo consciente em Cametá

  • Publicado: Segunda, 13 de Julho de 2020, 13h14
  • Última atualização em Segunda, 13 de Julho de 2020, 13h37

Matapi GESPAR Ufra 2020 FACE

Localizada no município de Cametá, região do Baixo Tocantins, a comunidade de Laranjal é composta por 96 famílias, sendo 23 residentes na ilha de Laranjal. A comunidade vive, basicamente, da agricultura, principalmente açaí e cacau, e da pesca de camarão, tanto para subsistência quanto para comercialização. Assim como a realidade de outros ribeirinhos na Amazônia, eles carecem de saneamento básico e tratamento de esgoto, e a maioria precisa de auxílios governamentais para viver.

Buscando contribuir para a melhoria da qualidade de vida dessas famílias, a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), a Universidade Federal do Pará (UFPA) e o Governo Estadual estão desenvolvendo o Projeto Matapi GESPAR - “Gestão Participativa para o Empreendedorismo Consciente da Comunidade Tradicional Ribeirinha à Jusante da Usina Hidrelétrica de Tucuruí”. Por meio da metodologia de Gestão Participativa, a iniciativa tem por objetivo capacitar os moradores da comunidade para o empreendedorismo consciente, voltado para a atividade de captura e comercialização de camarão e para produtos da biodiversidade local. O projeto também busca contribuir para a valorização do papel da mulher nas atividades produtivas desenvolvidas por essa comunidade.

O projeto foi aprovado em edital da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional (Sectet) em 2018 e recentemente iniciou a etapa de execução. A professora e vice-cordenadora do projeto Xiomara Díaz explica que a Ufra e a UFPA irão proporcionar capacitações técnicas organizadas por professores, técnicos e estudantes, enquanto o Governo Estadual possibilita essa transferência de conhecimento através de bolsas e diárias de deslocamento, gerando, simultaneamente, um meio para o desenvolvimento de diversos projetos de extensão e pesquisa em ambas as universidades. “O sucesso dessa sinergia se verá refletido no melhoramento da qualidade de vida da comunidade de Laranjal promovendo o empreendedorismo consciente e trabalho coletivo”, diz.

Atualmente, em função da pandemia de Covid-19, o grupo está trabalhando em atividades de planejamento, preparação de cartilhas, elaboração de questionário socioeconômico e treinamento da equipe na metodologia GESPAR, que será aplicada na comunidade de Laranjal assim que as atividades presenciais tiverem início. À Ufra, cabem os papéis de direcionar os trabalhos de pesquisa, sob coordenação da professora Silvana Sodré Veloso, e realizar o treinamento na metodologia, sob coordenação da agrônoma Wilza da Silveira Pinto.

“Adicionalmente, três discentes bolsistas da Ufra, sendo dois do curso de Engenharia de Pesca e um do curso de Engenharia Ambiental e de Energias renováveis, vão desenvolver trabalhos de pesquisa em diversos temas relacionados à proposta central do projeto. Junto com a equipe, a Aceep Jr, que é uma empresa júnior sem ânimo de lucro e formada por alunos da Ufra , está sendo a gerenciadora dos recursos do projeto provenientes da Sectec”, explica a docente.

Pesca de camarão – De acordo com a equipe do projeto, o camarão da Amazônia ainda se destaca nos desembarques pesqueiros na região, mas a pesca predatória está pondo em risco esta importante fonte de sobrevivência dos ribeirinhos. Experimentos de seletividade e ordenamento das espécies foram realizados na área objeto de estudo, demonstrando que o matapi - principal apetrecho utilizado pelos pescadores - com talas a partir de 5 mm é o mais indicado para a pesca do camarão, favorecendo a captura dos indivíduos de maior tamanho, contribuindo para reduzir a captura das classes etárias menores da espécie e, desta forma, permitindo que os juvenis se desenvolvam e mantenham a população.

Empreendedorismo consciente - A metodologia GESPAR abrange o desenvolvimento empresarial, institucional e comunitário. Os principais processos desenvolvidos são: mobilização e sensibilização; elaboração de pré-diagnósticos e planos referenciais participativos; capacitação organizacional, desenvolvimento empresarial e desenvolvimento institucional; formação de facilitadores/multiplicadores e estímulo ao surgimento de novas institucionalidades que reflitam o empoderamento dos atores locais.

Desta forma, a implantação do projeto Matapi GESPAR busca gerar benefícios às famílias e suas organizações, que obtêm a renda da agricultura e da pesca por meio de ações de qualificação técnica e gerencial que apoiam o incremento da produção agroecológica, da segurança alimentar dessas famílias e de suas receitas monetárias. O projeto permite integrar a conservação e o uso sustentável dos ecossistemas ao desenvolvimento econômico local. “O nosso objetivo é trabalhar junto com a comunidade a gestão participativa, que permitirá propor estratégias para que as atividades que eles tradicionalmente desenvolvem sejam aprimoradas e que os processos de captura e produção tragam maiores ingressos para todos, desta forma incentivando o empreendedorismo participativo e diminuindo as atuais condições de pobreza”, relata a professora Xiomara Díaz.

Busca de parceiros - A equipe Matapi GESPAR é formada 22 pessoas, entre professores, técnicos e alunos de diferentes áreas do conhecimento pertencentes à Ufra e à UFPA de Belém e Cametá, bem como membros da comunidade de Laranjal, e informa que está em busca de novos colaboradores que estejam dispostos a patrocinar a divulgação e custos extras do projeto, com o objetivo último de auxiliar as 96 famílias ribeirinhas que vivem na comunidade. 

Para mais informações e parcerias:

contato@aceepjr.com

projetocameta@aceepjr.com

Profª Elessandra Laura UFPA - Coordenadora: elessandralaura@hotmail.com

Profª Xiomara F.G. Díaz – Vice-coordenadora: xiofra@gmail.com

Wilza da Silveira: wilza.pinto@ufra.edu.br

ACEEP Jr.: (91) 98463-6994

Pescador da Comunidade de Laranjal 2020

Texto: Jussara Kishi - Ascom Ufra

Com informações e fotos do projeto Matapi GESPAR

Fim do conteúdo da página

Avenida Presidente Tancredo Neves, Nº 2501 Bairro: Terra Firme  Cep: 66.077-830 Cidade: Belém-Pará-Brasil