Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

ptenes

Opções de acessibilidade

Página inicial > Últimas Notícias > Pesquisadores criam boletim semanal sobre Covid-19
Início do conteúdo da página
Ultimas Notícias

Pesquisadores criam boletim semanal sobre Covid-19

  • Publicado: Quarta, 13 de Mai de 2020, 15h53
  • Última atualização em Quinta, 14 de Mai de 2020, 15h41

A Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) começa a divulgar a partir de hoje (13) o Boletim Covid-19: Projeções e Recomendações para o estado do Pará. O objetivo é informar semanalmente sobre o comportamento do novo coronavírus (COVID-19), destacando sempre a previsão para sete dias no estado do Pará e suas microrregiões. O material está disponível na página da Pró-reitoria de extensão (Proex), pelo link https://proex.ufra.edu.br/boletimcovidufra

O Boletim é resultado da pesquisa desenvolvida pelo Grupo multiprofissional e interinstitucional formado por pesquisadores da Ufra, Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade do Estado do Pará (Uepa) e Universidade Federal de Viçosa (UFV). Os pesquisadores trabalham estimando a evolução diária de infectados sintomáticos e óbitos, analisar o sistema de saúde de forma ampla, por meio da estimativa de quantidade de leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e leitos comuns, bem como respiradores e corpo de médicos, fisioterapeutas, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Essas projeções serão utilizadas para alimentar indicadores de colapso hospitalar para as microrregiões do Pará.

As projeções do boletim são periódicas e apresentadas toda a semana, por meio de técnicas de inteligência artificial e modelagem matemática. Segundo o professor Jonas Elias castro, um dos pesquisadores da UFRA integrantes do grupo, o boletim traz informações que podem auxiliar o Estado no combate ao Covid-19.

 “A pesquisa mostra a evolução da doença no estado do Pará e suas microrregiões, bem como a demanda por recursos hospitalares ao longo da evolução pandêmica, permitindo que os gestores públicos possam alocar recursos nas regiões de maior vulnerabilidade hospitalar, bem como apoiar decisões que possam fortalecer o isolamento social e assim diminuir a necessidade desses recursos”, diz o professor.

Os dados são repassados para a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (SECTET) que apoia a pesquisa e auxilia na interpretação dos resultados. O estudo teve como base dados da Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa), Ministério da Saúde e Organização Mundial de Saúde (OMS). A primeira estimativa feita pelo grupo foi início de Abril, e considerava o mês de maio como sendo o pico da doença. Mas, segundo o pesquisador, essa previsão já teve alteração, em razão dos baixos índices de isolamento social.

“O índice de isolamento social no estado do Pará foi considerado baixo ao longo do mês de abril e início de maio, e com isso o pico da doença distanciou-se do previsto, ou seja, naturalmente o número que projetamos antes, muda. Em resposta ao baixo índice de isolamento, o governo do estado decretou lockdown em dez cidades com maiores números de casos confirmados e óbitos pela COVID-19, essa ação governamental também terá implicações nas previsões”, explica.

Até às 13h de hoje a Sespa já contabilizava 9.618 casos confirmados e 946 óbitos. No Boletim divulgado pelos pesquisadores para a data de hoje, esse número médio foi de 10.007 infectados, 993 óbitos. 

“Os números divulgados estão próximos das projeções e corroboram para a acurácia do modelo proposto. O lançamento do Boletim projetará informações mais seguras e assim, ofertar ao poder público uma ferramenta gestão e alocação de recursos. Então, com intervalos semanais poderemos prever a estabilização da cura e, por conseguinte, termos maiores inferências sobre o comportamento final do fenômeno”, diz o professor.

A equipe de pesquisadores é formada por Helloyza Pompeu (Residente em Enfermagem, Uepa); Andrea de Souza (fisioterapeuta intensivista); Cristina Kameyama (Concrem Wood); Felipe Jatene (médico, SP); Profª. Adriana Folador (Ufpa – Instituto de Ciências Biológicas); Prof. Diogo Ferraz (Ufra – Campus de Parauapebas); Prof. Gilberto Nerino (Ufra – Campus de Paragominas); Prof. Rafael Fernandes (Ufra – Campus de Parauapebas); Prof. Rommel Ramos (Ufpa – Instituto de Ciências Biológicas) Profª Silvana Rossy Ufra (Pró-Reitora de Plan. e Des. Institucional da Ufra); Prof. Glauber Tadaiesky (Ufra – Instituto Ciberespacial); Ivaldo Tavares (Ufv – Discente de Doutorado); Prof. Jonas Castro (Ufra – Pró-Reitor Adjunto de Extensão); Prof. Marcus Braga (Ufra – Campus de Paragominas) e Prof. Marcel Botelho (Ufra – Reitor).

Mais informações detalhadas sobre a pesquisa, em matéria divulgada dia 06/05: https://novo.ufra.edu.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2575&catid=17&Itemid=121

 

 

 

Fim do conteúdo da página

Avenida Presidente Tancredo Neves, Nº 2501 Bairro: Terra Firme  Cep: 66.077-830 Cidade: Belém-Pará-Brasil