Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

ptenes

Opções de acessibilidade

Página inicial > Últimas Notícias > III Seminário de Integração tem início na Ufra com programação nos seis campi
Início do conteúdo da página
Ultimas Notícias

III Seminário de Integração tem início na Ufra com programação nos seis campi

  • Publicado: Segunda, 04 de Novembro de 2019, 15h31
  • Última atualização em Terça, 05 de Novembro de 2019, 11h33

seminário pibic 2019 2

Com mais de 1.700 inscrições, teve início nesta segunda-feira, 04, o III Seminário de Integração e XVII Seminário de Iniciação Científica da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra). Com o tema “Da Universidade ao mercado de trabalho: perspectivas, tendências e desafios”, o evento tem como objetivo disseminar a visão holística das ações da instituição nos seus seis campi, trazendo à comunidade acadêmica discussões técnico-científicas sobre o que vem sendo desenvolvido no âmbito da universidade, em prol da sociedade.

A programação ocorre até o dia 09/11, concomitantemente em todos os campi da instituição, com cerca de 700 trabalhos de pesquisa, ensino e extensão, que serão apresentados nos formatos banner, oral ou exposição didática, além de minicursos e palestras. No campus Belém, a abertura ocorreu no auditório Waldir Bouhid. O reitor da Ufra, professor Marcel Botelho, destacou a importância do tema do evento, cuja ideia central é proporcionar aos participantes uma reflexão sobre as novas exigências e requisitos necessários para se destacar no mercado de trabalho. “Este mercado não se refere somente ao seu emprego; é também a sua própria formação como empreendedor, como desenvolvedor dessa sociedade. A Ufra vem se modernizando e, cada vez mais, nós temos a compreensão de que a formação de vocês não é o único produto que a universidade oferece. Ela precisa estar intensamente integrada com a sociedade”, afirmou. 

Projeto Rondon

Após a mesa de abertura, o reitor e o professor Alfredo Balduíno Santos, da Universidade Estadual de Santa Catarina (UDESC), assinaram um acordo de cooperação técnica entre as duas instituições para fins de criação da Comissão Extensionista Rondon da Ufra. O objetivo é replicar no Pará as ações que vêm sendo desenvolvidas pela UDESC no âmbito do Núcleo Extensinista Rondon (NER). Nos últimos dez anos, a universidade catarinense já beneficiou mais de 300 mil pessoas de diversas comunidades, especialmente em Santa Catarina, com atividades de extensão universitária nas áreas de educação, saúde, meio ambiente e outras.

O professor Alfredo Balduíno Santos relata que o trabalho da UDESC no Pará teve início em 1973, quando havia um campus avançado em Itaituba. As ações no estado foram encerradas em 1989 e agora estão sendo retomadas, através da parceria com a Ufra. Uma equipe formada por alunos e professores da Ufra participou da operação do Projeto Rondon ocorrida em julho em Santa Catarina, quando pôde.

“A extensão universitária é a possibilidade que a gente tem de fazer com que a academia se aproxime mais da sociedade. Quando isso acontece, a possibilidade de as coisas darem certo é muito maior, sem contar que esse trabalho permite ver na prática a questão da indissociablidade entre ensino, pesquisa e extensão. Tudo isso faz com que os nossos acadêmicos saiam muito melhor preparados para o mercado de trabalho”, afirma.

O pró-reitor de extensão da Ufra, professor Eduardo Lima, explica que o próximo passo será cadastrar o projeto na forma de programa de extensão na universidade e formar uma comissão gerenciada pela PROEX e formada por representantes de todos os campi. O objetivo é levar o conhecimento gerado na universidade à sociedade paraense, inicialmente nos municípios onde a Ufra possui campi e seus entornos. “A princípio, vamos fazer um levantamento junto aos grupos de pesquisa, ensino e extensão da universidade para saber o que eles podem ofertar enquanto oficinas dentro das suas expertises, que eu chamo de ‘cardápio de boas ações’, para que possamos apresentar junto às prefeituras para colocá-las à disposição da sociedade”.

Tais ações buscarão beneficiar pessoas de todas as idades nos municípios atendidos, com atividades lúdicas, esportivas, culturais e técnicas, que podem ser levadas ao homem do campo, por exemplo. A intenção é promover a primeira grande operação do Projeto Rondon na Ufra em julho em 2020. “O mais importante é prestar esse serviço à comunidade com um caráter não apenas de assistencialismo, mas também pedagógico, pois estaremos oportunizando ao nosso aluno sair da sua cadeira, deixar um pouco a sua teoria, e aplicar o seu conhecimento na prática junto à sociedade”, explica o pró-reitor.

“Nós vamos aprender com os bons exemplos e trazer oportunidade para que cada um de vocês tenha a chance de vivenciar um pouco da realidade da pessoa que está lá na ponta, da pessoa que está necessitando do nosso conhecimento, do nosso serviço. É para isso que nós estamos trabalhando: para servir à comunidade”, disse o reitor da Ufra.

Internacionalização

A palestra de abertura do Seminário foi proferida pelo diretor de Relações Internacionais da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), professor Mauro Luiz Rabelo. Ele abordou o tema “Perspectivas, tendências e desafios para a internacionalização na educação superior”. Na ocasião, ele falou sobre o trabalho desenvolvido pela Capes e traçou um panorama da educação superior no Brasil. O país é hoje o 4º maior em número de estudantes matriculados no ensino superior, com 8,2 milhões de pessoas em 35 mil cursos de graduação. O Brasil é também o 13º país em número de trabalhos publicados em revista científica internacional, porém, segundo ele, ainda é necessário melhorar a qualidade dessas publicações.

O representante da Capes abordou as vantagens da internacionalização, tanto para as instituições quanto no nível individual, relacionadas ao desenvolvimento científico, sociocultural, tecnológico, econômico e humano, e destacou a exigência cada vez maior da competência linguística para se alcançar uma bolsa de estudos no exterior. “A internacionalização não é somente a mobilidade de um indivíduo. Esta é somente uma das diversas dimensões da internacionalização, e a primeira delas é o compromisso institucional”, disse.

Programação

A programação do III Seminário de Integração segue até o dia 09 de novembro de 2019 nos campi Belém, Capanema, Capitão Poço, Paragominas, Parauapebas e Tomé-Açu. Mais informações: https://ufraproic.wixsite.com/seminario2019

seminário pibic 2019 4

Acordo de cooperação entre Ufra e UDESC no âmbito do Projeto Rondon

Belém Integração 2019

Cerimônia de abertura do campus Belém

Paragominas Integração 2019

Cerimônia de abertura do campus Paragominas

Tomé Açu Integração 2019

Cerimônia de abertura do campus Tomé-Açu

Capanema Integração 2019

Cerimônia de abertura do campus Capanema

Fim do conteúdo da página

Avenida Presidente Tancredo Neves, Nº 2501 Bairro: Terra Firme  Cep: 66.077-830 Cidade: Belém-Pará-Brasil