Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

ptzh-CNenfrjaes

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página
Ultimas Notícias

DELEGADA ESCLARECE SOBRE CRIMES VIRTUAIS EM PALESTRA NO CAMPUS BELÉM

  • Publicado: Quinta, 16 de Agosto de 2018, 16h40
  • Última atualização em Quinta, 16 de Agosto de 2018, 16h40
  • Acessos: 553

crimes virtuais 3

A Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) promoveu, na manhã desta quinta-feira, 16 de agosto, uma palestra sobre assédio e crimes virtuais, voltada para a comunidade acadêmica. O evento ocorreu no Auditório Waldir Bouhid, Campus Belém, e contou com a presença de alunos e servidores da instituição. A palestra foi proferida pela Delegada de Crimes Cibernéticos Karina Campelo.

Durante a palestra, denominada “Mídias sociais: como usá-las?”, a delegada dividiu com os presentes parte de suas experiências à frente da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos (DPRCT) da Polícia Civil do Pará. A ideia foi, a partir dessas experiências, despertar uma reflexão e um olhar crítico nas pessoas. Segundo ela, a tecnologia quebrou paradigmas e “assim como é necessário ter cuidado na vida real, é preciso ter cuidado no ambiente virtual”.

A delegada abordou temas como exposição e privacidade nas redes sociais, responsabilidade nas postagens e diferença entre opinião e ofensa. “É importante as pessoas entenderem que nem tudo vai ficar impune, que o anonimato é um mito e que existem leis para práticas ocorridas no ambiente virtual. Assim como você seria responsabilizado por certos atos no âmbito real, o mesmo se aplica ao ambiente virtual. É preciso ter cuidado nas suas ações porque você pode se ver processado por um ato impensado, por achar que você não estava sendo observado ou por achar que você estava utilizando um perfil fake, por exemplo”.

De acordo com a delegada, os crimes de maior ocorrência que chegam até a DPRCT são os crimes contra a honra – calúnia, difamação e injúria -, que podem gerar para as vítimas o direito à indenização; a falsa identidade, onde podem se enquadrar os perfis fakes; e o estelionato. Ela destacou a inviolabilidade do direito à honra, à imagem e à intimidade e também abordou as diferenças entre as esferas de responsabilidade – criminal, civil e administrativa.

Como denunciar – Karina Campelo explica o rito para denunciar crimes virtuais: “se você verifica uma situação que pode caracterizar um crime, pode denunciar na delegacia mais próxima. Se você for a vítima, também pode fazer um boletim de ocorrência em qualquer delegacia, seja a do seu bairro, seja uma especializada. É importante levar provas, como prints, bem como identificar o perfil da pessoa, seja ele real ou não. Você também pode denunciar através do 181, que é um canal da polícia que recebe denúncias e repassa para as unidades”.

Para a Vice-Reitora, Profa. Janae Gonçalves, que fez parte da mesa de abertura da palestra, essas informações são necessárias, dado que a tecnologia é fundamental nos dias atuais, mas deve ser usada com responsabilidade. Segundo a Pró-Reitora de Assuntos Estudantis, Profa. Iris Lettiere da Silva, a palestra é importante para esclarecer as dúvidas da comunidade a respeito de um assunto tão pertinente. “Devemos aprofundar o debate sobre questões sociais e aumentar esse coro em favor do respeito à diversidade”.

crimes virtuais 1

crimes virtuais 4

Fim do conteúdo da página

Avenida Presidente Tancredo Neves, Nº 2501 Bairro: Terra Firme  Cep: 66.077-830 Cidade: Belém-Pará-Brasil